06 DE AGOSTO – Dia Nacional dos Profissionais de Educação

UM TRABALHO DE DEDICAÇÃO QUE NÃO PODE PARAR E AINDA TEMOS MUITO A FAZER – Estudo da UNESCO aponta que 263 milhões de crianças e jovens estão fora da escola.

Fontes: Portal EBC e Site ONUBR.   Edição: Comunicação Gacc.

Atividade de Sala JUFoto: Projeto Educação Integrada

Um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): educação inclusiva, equitativa e de qualidade, ainda é um grande desafio para o mundo, pois países que se comprometeram em dar educação de primeiro e segundo grau a todas as crianças até 2030, devem correr com ações efetivas se quiserem atingir o objetivo.

Segundo relatório apresentado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO),  263 milhões de crianças e jovens de todo o planeta – o equivalente a ¼ da população européia – estão fora da escola, sendo que a África Subsaariana tem as maiores taxas de exclusão.

Os dados apontam que 61 milhões de crianças estão fora do ensino primário (6 a 11 anos), 60 milhões não frequentam o ensino fundamental  (12 a 14 anos) e 142 milhões de jovens de 15 a 17 anos não estudam. Esta é a primeira vez que alunos do ensino fundamental são incluídos na pesquisa.

Segundo o documento, as maiores barreiras para limitar o acesso a educação estão ligadas a gênero, localização, riqueza e conflitos armados. Em todo o mundo, 22 milhões de crianças (6 a 11 anos), 15 milhões de jovens (12 a 14 anos) e 26 milhões de adolescentes (15 a 17 anos) não frequentam a escola em regiões afetadas por conflitos.

O estudo aponta ainda que, apesar dos esforços e progressos feitos nas últimas duas décadas, 15 milhões de garotas nunca tiveram a chance de aprender a ler ou escrever no ensino primário, enquanto o número de meninos é de 10 milhões.

No Brasil podemos destacar o quanto o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), vem sendo importante na busca de atingir melhorias. Segundo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) publicado em 2013 e que avaliou o avanço nas ultimas décadas, #Eca25anos, o Brasil reduziu em 88,8% a taxa de analfabetismo na faixa entre 10 e 18 anos de idade, passando de 12,5%, em 1990, para 1,4% em 2013, conforme dados do Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad).

O mesmo relatório avaliou o índice de evasão escolar de crianças e adolescentes no ensino fundamental reduzindo em 64%, passando de 19,6% dos alunos matriculados, em 1990, para 7% em 2013.